Óleo de coco faz tão mal à saúde quanto gordura animal e manteiga, dizem cientistas


oleo-de-coco

Apesar de ser amplamente promovido como uma opção mais saudável, o óleo de coco tem o mesmo efeito na saúde que gordura animal e manteiga, segundo um relatório recém-publicado pela Associação Cardíaca Americana.

Por ser composto de gordura saturada, o óleo de coco pode aumentar o chamado colesterol “ruim”, explicam os pesquisadores.

De acordo com a associação americana, 82% da gordura no óleo de coco é saturada. O percentual é maior do que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%).

Alguns especialistas ressaltam, porém, que a mistura de gorduras no óleo de coco ainda faz dele uma opção saudável, mas a Associação Cardíaca Americana afirma que não há evidências confiáveis disso.

“Como o óleo de coco aumenta o colesterol LDL (o tipo tido como “ruim”), causa de doenças cardiovasculares, e não tem efeitos favoráveis que compensem isso, advertimos contra seu consumo”, diz o relatório americano.

O instituto afirma que as pessoas devem limitar a quantidade de gorduras saturadas que consomem, substituindo algumas por óleos vegetais não saturados – como azeite de oliva, óleo de girassol e suas variações.

Gordura saturada

As gorduras animais, como banha de porco, são geralmente vistas como nocivas, enquanto os óleos vegetais não saturados, como o azeite de oliva e de girassol, são apontados como opções mais saudáveis.

Essa teoria é baseada na quantidade de um determinado tipo de gordura – a saturada – que esses produtos contêm.

A gordura saturada é considerada ruim para a saúde, embora não haja consenso.

Adotar uma dieta rica nesse tipo de gordura pode aumentar o nível de colesterol “ruim” (LDL) no sangue, o que, por sua vez, pode entupir as artérias e aumentar o risco de doenças cardíacas e derrames.