MONSTRO: Pai diz que estuprava filha para compensar o pagamento da pensão alimentícia


Foi preso na sexta-feira (15), pela Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) com apoio da Divisão de Inteligência da Polícia Militar e agentes da Polícia Civil, um homem de 35 anos acusado de estuprar a própria filha de 14 anos. Ele foi detido no bairro Jardim Caranã, zona Oeste da cidade em Boa Vista. Eliane Gonçalves, delegada responsável pelo caso, disse que o pai da adolescente justificava os abusos como compensação pelo pagamento da pensão alimentícia. O homem nega o crime.

ede906c64ee6dabe6d9b4e8aa3b4a8d3e8491299

Suspeito foi levado para delegacia e posteriormente para penitenciária (Foto: Marcelo Marques/G1 RR)

Segundo a delegada, no dia 19 de abril, a mãe fez um boletim de ocorrência relatando que a filha estava sendo abusada pelo pai. A garota, conforme a mãe estava apática, triste e chorava muito facilmente.

“Ele [pai] foi interrogado, inclusive na presença do advogado, e negou o estupro”, diz a delegada. Durante a investigação foi comprovado à violência sexual, acrescenta Eliane.

“A mãe mandava a filha receber a pensão na casa do pai junto com uma parente. Lá, ele pedia para a familiar sair para comprar alguma coisa. Nesse período de tempo, ele estuprava a filha. Ele dizia à filha que era para compensar a pensão alimentícia que pagava a ela”, relata a delegada.

De acordo com ela, o abuso se iniciou com o pai pedindo para filha tocar no suspeito. A violência ocorria há pelo menos dois anos.

“Ele levava a vítima para o banheiro onde pedia a ela para lavá-lo nas partes íntimas. Ela questionava e ele dizia que, como a filha cuidava de criança, tinha de aprender a fazer a higiene. Depois de um tempo ele iniciou o ato de conjunção carnal quando a filha tinha 12 anos, até os 14”, detalha Eliane.

Após os exames psicológicos e de conjunção carnal, conforme a delegada, foi pedida a prisão preventiva do suspeito.

“Com os indícios em mãos, pedimos ao Poder Judiciário a prisão dele. Depois do interrogatório, ele mudou de telefone, de endereço e se distanciou de familiares, mas conseguimos achá-lo”, diz a delegada.

Segundo o G1, questionado, o pai negou o crime e disse que só falaria na presença do advogado. Após passar por exame de corpo de delito ele será levado para a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo.