Delação de executivo da Odebrecht: nome de Temer é citado 43 vezes e Geddel 67.


983540300a83fd88f10cc885443b42a4c2462c45

O nome do presidente Michel Temer aparece 43 vezes no documento do acordo de delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, é mencionado 45 vezes e Moreira Franco, secretário de Parceria e Investimentos do governo Temer, 35.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima, que pediu demissão recentemente, surge em 67 trechos.

O líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), apontado como o “homem de frente” das negociações da empreiteira no Congresso, tem 105 menções no relato, um arquivo preliminar, ao qual a Folha teve acesso, do que o ex-executivo vai dizer em depoimento às autoridades da Lava Jato.

De acordo com Melo Filho, o presidente Temer atua de forma “indireta” na arrecadação financeira do PMDB, mas teve papel “relevante” em 2014, quando, segundo ele, pediu R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht para a campanha eleitoral durante jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014.

Segundo o delator, Temer incumbiu Padilha de operacionalizar pagamentos de campanha.

O ministro, diz o ex-executivo, cuidou da distribuição de R$ 4 milhões daqueles R$ 10 milhões: “Foi ele o representante escolhido por Michel Temer –fato que demonstrava a confiança entre os dois–, que recebeu e endereçou os pagamentos realizados a pretexto de campanha solicitadas por Michel Temer.

Este fato deixa claro seu peso político, principalmente quando observado pela ótica do valor do pagamento realizado, na ordem de R$ 4 milhões”.

“Chegamos no Palácio do Jaburu e fomos recebidos por Eliseu Padilha. Como Michel Temer ainda não tinha chegado, ficamos conversando amenidades em uma sala à direita de quem entra na residência pela entrada principal. Acredito que esta sala é uma biblioteca”, disse o delator, que conta detalhes do jantar.

 “Após a chegada de Michel Temer, sentamos na varanda em cadeiras de couro preto, com estrutura de alumínio. No jantar, acredito que considerando a importância do PMDB e a condição de possuir o Vice-Presidente da República como presidente do referido partido político, Marcelo Odebrecht definiu que seria feito pagamento no valor de R$ 10 milhões”, diz.

“Claramente, o local escolhido para a reunião foi uma opção simbólica voltada a dar mais peso ao pedido de repasse financeiro que foi feito naquela ocasião. Inclusive, houve troca de e-mails nos quais Marcelo se referiu à ajuda definida no jantar, fazendo referência a Temer como ‘MT'”, ressalta o ex-executivo da Odebrecht.

Um dos endereços de entrega foi o escritório de advocacia de José Yunes, atual assessor especial da Presidência da República. Segundo o delator, “o atual presidente da República também utilizava seus prepostos para atingir interesses pessoais, como no caso dos pagamentos que participei, operacionalizado via Eliseu Padilha”. O delator disse que foi apresentado a Temer por Geddel em agosto de 2005 na festa de aniversário de seu pai.

Ao se referir ao ministro Padilha, ele afirma que o hoje ministro “atua como verdadeiro preposto de Michel Temer e deixa claro que muitas vezes fala em seu nome”, disse Melo Filho. “Eliseu Padilha concentra as arrecadações financeiras desse núcleo político do PMDB para posteriores repasses internos”, afirmou.

A relação entre os quatro caciques peemedebistas é muito forte, segundo o delator, “o que confere peso aos pedidos formulados por eles (ministros), pois se sabe que o pleito solicitado em contrapartida (pela empresa) será atendido também por Michel Temer”.

“Geddel Vieira Lima também possui influência dentro do grupo, interagindo com agentes privados para atender seus pleitos em troca de pagamentos”, disse o delator.

 Melo Filho afirmou que defendia “vigorosamente” as solicitações de pagamento feitas por Geddel junto à Odebrecht “como retribuição” pelo fato de o ex-ministro lhe aproximar das outras lideranças. Sobre Jucá, ele declarou que um “exemplo” da força dele é “encontrado no fato de que o gabinete do Senador sempre foi concorrido e frequentado por agentes privados interessados na sua atuação estratégica”. Todos os citados têm negado qualquer irregularidade na relação com a Odebrecht.

Joga pedra e esconde a mão: PSDB articulou urgência de pacote anticorrupção e votou contra


Todo o partido votou contra a urgência do pacote anticorrupção, mas senadores foram os principais articuladores da proposta

size_960_16_9_senador-aecio-neves-psdb-em-29-03

Brasília – Nenhum senador do PSDB votou a favor da manobra para acelerar a votação do pacote anticorrupção no Senado. O resultado da votação, entretanto, disfarça os acordos costurados ao longo da tarde dessa quarta-feira, 30.

Interlocutores que participaram das reuniões garantem: Aécio Neves (MG) foi o primeiro a articular a urgência da votação e o PSDB prometeu votos no requerimento, mas não cumpriu.

Presidente do PSDB, Aécio trabalhou ao longo da tarde para costurar o acordo, que foi fechado com lideranças do PMDB, PT, PSD, PP e PTC.

O tucano foi o principal articulador do pedido de urgência, afirmam fontes. Se fosse aprovado o requerimento, o senador Roberto Requião (PMDB-PR), que é relator do abuso de autoridade, assumiria também o pacote anticorrupção para apresentar parecer favorável a todas as modificações feitas na Câmara. De acordo com o Ministério Público, o projeto foi desvirtuado pelos deputados.

Na noite desta quarta-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), conduziu a manobra. O peemedebista, que não costuma perder votações e, quando observa clima desfavorável, prefere suspendê-las, acabou derrotado por 44 votos a 14.

À primeira vista, Renan pareceu sozinho em sua articulação. Mas, na realidade, líderes que participaram do acordo acabaram desistindo diante da reação do plenário. Renan insistiu na votação porque confiou no acordo firmado mais cedo.

Senadores que estiveram no jantar natalino na casa de Eunício Oliveira (PMDB-CE) após a votação relataram que houve constrangimento entre aqueles que prometeram o voto, mas não entregaram.

Reação

A estratégia era que o requerimento fosse votado sem alarde. Ao dar início à votação, Renan não mencionou do que se tratava. O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), ciente da manobra – e contrário à ela -, pediu que o conteúdo do requerimento fosse esclarecido.

Ao saberem que se tratava de pedido de urgência para o pacote anticorrupção, muitos senadores se voltaram contra a iniciativa. A reação do plenário não deixou outra alternativa aos articuladores da manobra se não abandonar a estratégia.

Senadores que participaram do acordo criticaram os líderes do PMDB, Eunício Oliveira (CE) e do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), que nem sequer estiveram presentes na votação para garantir a estratégia firmada. O líder do PSD, Omar Aziz (AC), que assinou o requerimento de urgência, também não estava no plenário no momento da votação.

As maiores críticas, entretanto, recaíram sobre o PSDB. De acordo com um dos senadores que participou das reuniões para a manobra, a bancada tucana foi orientada a votar fechada contra o requerimento de urgência quando Aécio notou que iria perder. Desta forma, o partido sairia insuspeito.

Outro lado

A assessoria do senador Aécio Neves negou que ele tenha participado de qualquer reunião para tratar do assunto. Renan Calheiros, por sua vez, argumenta que não é autor do requerimento de urgência e que apenas cumpriu seu papel, como presidente do Senado, de colocar a proposta em votação.

O senador Romero Jucá disse desconhecer qualquer articulação para acelerar o pacote anticorrupção e afirmou que estava no Palácio do Planalto no momento da discussão, razão pela qual também não participou da votação. Jucá chegou ao plenário já no fim dos desentendimentos.

O senador Omar Aziz, que assinou o pedido de urgência, afirmou que participou de reuniões para tratar do assunto, mas que a vontade do plenário é soberana. Ele avalia que, apesar da tentativa de urgência, a resolução final da questão foi a melhor possível e que agora o pacote vai tramitar com tranquilidade pelas comissões do Senado.

Eleições 2016: Veja os famosos que se deram bem e que se deram mal nas urnas


corr

Ontem, os brasileiros foram às urnas escolher seus representantes. Dentre os candidatos havia artistas, jogadores de futebol e cantores que tentavam cargos como vereadores e até vice-prefeito.

Confira abaixo os famosos que se deram mal nas urnas:

Agnaldo Timóteo (PMDB) – O cantor tentou conquistar a vaga de vereador no Rio de Janeiro, mas não conseguiu votos suficientes. Em 2012, ele passou mal ao receber a notícia de que tinha perdido a reeleição para vereador por São Paulo.

Robsão (PTB) – Com pouco mais de 380 votos, o cantor ficou de fora da Câmara Municipal de Salvador em 2017.

Cezar Lima (PV) – Candidato com o nome de “Cezar Lima do BBB”, o ex-BBB conseguiu 3.165 votos, mas não foram suficientes para lhe eleger.

Diego Grossi (PRP) – Participante da 14ª edição do BBB, Diego não conseguiu votos para se eleger vereador pelo Rio de Janeiro.

Dudu Nobre (PT do B) – O sambista ficou em 260º lugar com 1.625 votos e não conseguiu se eleger vereador pelo Rio de Janeiro.

Ed Carlos (PRP) – Conhecido como “Reizinho da Jovem Guarda”, o ex-cantor teve apenas 756 votos e não foi eleito para vereador em São Paulo.

Marcelinho Carioca (PRB) – O ex-jogador não conseguiu se eleger para vereador em São Paulo. Ele também perdeu as eleições para vereador e deputado estadual em 2012 e 2014.

MC Vesga (PV) – A funkeira teve apenas 118 votos e ficou longe de conseguir se eleger a vereadora em Porto Alegre.

Mulher Pera (PT do B) – Suélem Aline Mendes Nami Cury, a Mulher Pera obteve apenas 294 votos e não vai assumir o cargo de vereadora em 2017.

Netinho de Paula (PDT) – Apesar de receber mais de 20 mil votos, o pagodeiro não conseguiu se eleger a vereador por São Paulo.

Peter Brandão (PRB) – Os 421 votos que o ator recebeu não lhe ajudaram a conseguir uma vaga na Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 2017.

Pink (PSC) – Candidata a vereadora pelo Recife, a ex-BBB não conseguiu vaga para vereadora. Essa foi a terceira tentativa dela.

Roberto Dinamite (SD) – Ex-jogador e ex-dirigente do Vasco, Roberto não conseguiu a vaga para vereador.

Sandra de Sá (SD) – A cantora conseguiu 1.993 votos, mas não se elegeu como vereadora pelo Rio de Janeiro.

Thammy Miranda (PP) – Filho de Gretchen, o ator não conseguiu a vaga de vereador na cidade de São Paulo.

Theo Becker (PRB) – Das 51 vagas para vereador na cidade do Rio de Janeiro, Theo ficou em 612º lugar e não vai assumir o cargo em 2017.

Waldir Pires (PRP) – Waldir já foi ex-goleiro no São Paulo, Corinthians e Portuguesa e titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982. Na eleição não teve tanta sorte e não se elegeu para vereador na capital paulista.

Confira abaixo os famosos que se deram bem nas urnas:

Dona Bill (PR) – A mãe do cantor Wesley Safadão até conseguiu se eleger como vice-prefeita da cidade de Aracoiaba, no Ceará. Mas a chapa dela e do prefeito Antonio Claudio (PSDB) teve a candidatura cassada, mas cabe recurso.

Igor Kannario (PHS) – O artista baiano conseguiu 11.432 votos e conseguiu se eleger como vereador em Salvador.

Lobão (PR) – O cantor e compositor da banda “Cheiro de Calcinha” e produtor de filmes pornôs Anivaldo Luiz da Silva, o Lobão, foi o vereador mais bem votado em Maceió, com quase 25 mil votos.

Mãe Loura do Funk (PMDB) – Verônica Costa, conhecida como Mãe Loura do Funk, teve quase 20 mil votos e assume como vereadora do Rio de Janeiro em 2017.

Candidato a vereador que só teve o próprio voto se separa da mulher


candidato

As urnas trouxeram uma surpresa desagradável para o candidato a vereador Jurandir do Jumento, de Flexeiras, Alagoas. Após o fim da apuração, Jurandir teve apenas um único voto, o seu. Assim que chegou em casa após acompanhar a apuração, ele se separou da mulher, Antonia Ferreira, com quem vivia há 25 anos.

“Como pode uma mulher se deitar com um homem e não votar nele?”, perguntava um inconformado Jurandir. Antonia se defende dizendo que o voto computado para Jurandir é dela.

“Como ele pode saber que não fui eu que votei nele, se nós dois votamos na mesma seção?”, perguntou a mulher. A parca votação de Jurandir e a separação viraram assunto nas rodas da pequena cidade do interior, que sobrevive da agricultura local.
O caso ganhou contornos mais pitorescos porque Juvenal Ferreira, vizinho de Jurandir, teve três votos. Há quem diga que Antonia votou em Juvenal, que teve também o voto de sua mulher. Antonia nega. “Vai ver o Jurandir não teve coragem de votar nele mesmo e inventou essa história”.

Mayra Brito (PP) é Reeleita Prefeita de Prado.


ruimad2-1200x545_c-1

Com 100% das urnas apuradas e 7.170 votos a atual prefeita Mayra Brito (PP) foi reeleita Prefeita de Prado para os próximos 4 anos.

mayra_gilvan_miro2-696x326

Em uma disputa acirrada, logo em seguida veio o candidato Gilvan Produções (PMDB) com 7.029 votos, já o pastor Miro do (PRB) ficou em terceiro lugar com 366 votos.

Fonte: Uol

Candidata Mayra Brito (PP) e o vice Lindão (PT) recebem o Governador Rui Costa em seu Palanque.


img_20160923_164501644

O governador da Bahia Rui Costa subiu no palanque da Candidata a reeleição Mayra Brito para dar seu apoio nesta reta final de Campanha.

Por volta das 16:30 milhares de correligionários, militantes, simpatizantes e lideranças politicas já esperavam a chegada do Governador do Estado e da candidata Mayra Brito.

hoje

No inicio do seu discurso o governador falou de sua infância humilde e da importância da educação para jovens e crianças.

Ainda em seu discurso o governador prometeu liberar recursos para terminar a creche iniciada e não concluída na gestão anterior e ainda continuar a parceria de levar água e luz as comunidades que mais precisa entre outros investimentos.

hoje2

O governador parabenizou a prefeita por reabrir a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), sendo a primeira em funcionamento no extremo sul da Bahia.

Logo em seguida a candidata Mayra Brito falou dos vários feitos de sua gestão e que o trabalho tem que continuar.

Assim que o Governador se despediu a candidata Mayra Brito e o Vice Lindão saíram em uma passeata pelas principais ruas e avenidas da Cidade.

img_20160923_165952988

 

#URGENTE: Chapa de Gilvan Produções e Carlão da Saúde é acusada de crime eleitoral.


e93a3513-e234-47f1-b7ee-9092ca849a0c-696x339

Os candidatos da Coligação Majoritária A Força do Povo estão respondendo em Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) por crime cometido durante atividade de campanha na cidade do Prado. O juiz eleitoral, Dr. Leonardo Coelho, já determinou que os acusados sejam intimados a apresentar defesa.

Gilvan Produções (PMDB) e Carlão da Saúde (PCdoB) estão sendo acusados no Processo Eleitoral N.º 0000499-33.2016.6.05.0112, que investiga a realização de showmício e a distribuição de gasolina para pessoas participarem da caminhada política realizada no último dia 29 de agosto.

No dia dos fatos, segundo a denúncia, investigada pelo Ministério Público Eleitoral, várias pessoas foram flagradas abastecendo veículos ornamentados de bandeiras e plotados com material gráfico da campanha dos investigados. Fotos mostram motos e carros abastecendo no Posto Abrolhos, no centro da cidade.

Outro ponto da denúncia foi a utilização de um minitrio para a apresentação de músicos, em evento assemelhado à showmício.

Dentre os pedidos, o juiz eleitoral julga a existência do crime de corrupção eleitoral e captação ilícita de sufrágio. Se condenados, os candidatos podem ser obrigados ao pagamento de multa e perder o registro de candidatura.

Por: Diógenes Cunha

Após comprar iPhone 6, presidente de Câmara é cassada no ES


afonsod-1200x545_c

Em uma sessão tumultuada, que durou em torno de cinco horas, inclusive com a presença da Polícia Militar, a presidente da Câmara de Afonso Cláudio, Flaviana Herzog (PMDB), teve o mandato parlamentar cassado na noite desta terça-feira (20).

Por unanimidade, com oito votos favoráveis, a peemedebista recebeu a punição pelas quatro acusações às quais respondia. Em uma representação apresentada pelo PSDB do município, ela foi acusada de usar dinheiro da Câmara para comprar um aparelho celular iPhone 6 Gold para fins particulares por R$ 3.899, e custear, em um ano, R$ 2.256,50 para seus almoços em um restaurante da cidade.

Flaviana também respondeu por deixar de prover o cargo de assessor de bancada requerido por vereador e não responder requerimentos de informações.

Instantes antes da sessão ser iniciada, Flaviana teria tentado impedir que populares permanecessem no plenário e chamou a polícia, segundo o 1º secretário da Mesa Diretora, Romildo Camporez (DEM).

“Nós reagimos, não permitimos. Vivemos em uma democracia, a Câmara é a Casa do povo. Chamamos o comandante, que precisou pedir que a tropa dele se retirasse para que a sessão continuasse”, relatou.

Flaviana não discursou e fez sua defesa por meio do advogado, que falou durante duas horas. Em seguida, foi realizada a votação, que além de cassar o mandato dela, a torna inelegível por oito anos. Flaviana é candidata à reeleição na Câmara nas próximas eleições.

Com a cassação, o vice-presidente da Casa, Romildo Ortolani (PDT), que conduziu a sessão, assumiu a presidência.

“A partir de agora esta Câmara será totalmente diferente, com transparência. Os atos dela foram reprováveis, mas todo o processo foi legítimo, cumprindo rigorosamente a lei, o regimento interno, a ampla defesa”, disse.

Ele afirmou que irá abrir licitação para reativar a rádio que fazia a transmissão das sessões da Câmara, que teriam sido canceladas na gestão de Flaviana. (Informações: A Gazeta)

VÍDEO: Governador Rui Costa Confirma Presença no Comício de Mayra Brito na próxima Sexta Dia 23.


O governador da Bahia Rui Costa gravou um vídeo confirmando a sua presença no Comício da candidata Mayra Brito (PP) e Lindão (PT) que será realizado na próxima sexta dia 23/09 no centro da cidade.

Nesta reta final da campanha eleitoral a presença do governador é recebida como um reforço de peso para os militantes, correligionários e simpatizantes da coligação “Prado no Rumo Certo”

Candidato a prefeito Gilvan Produções e vice Carlão realizam passeata no distrito de Cumuruxatiba


14333572_1208976232500279_7373792132243213401_n

O candidato da Oposição a prefeito em Prado Gilvan Produções (PMDB), realizou no último sábado (10/09) uma passeata no distrito de Cumuruxatiba. O candidato a vice-prefeito Dr. Carlão (PCdoB), também participou do evento.

14292517_1208976452500257_6951562666053155619_n

A passeata, seguida de uma carreata, percorreu as principais ruas e avenidas do distrito, O evento em Cumuruxatiba contou com a presença de moradores e simpatizantes do grupo contra o atual governo.

14291756_1208976295833606_2482437323067638403_n

De acordo com informações outros eventos serão realizados e os mesmos estão motivados para lutar até outubro quando ocorrerá a votação que escolherá a próxima gestão.

14237531_1208976632500239_1120924114057920520_n

Por: Claydson Mota