“171” se passa por “Loira Perfeita” da internet e “arranca” R$ 17 mil de namorado virtual apaixonado em Teixeira de Freitas


maelyd-1200x545_c

Nesta última quarta-feira, dia 16 de novembro, a Polícia Civil de Teixeira de Freitas, após denúncia da própria vítima, desencadeou uma ação coordenada pelo delegado Manoel Andreetta, titular do município, que com o apoio de agentes da 8ª Coorpin, conseguiu prender uma mulher acusada de estelionato. A sabichona, segundo as investigações, há mais de 11 meses, vinha se passando por uma mulher de nome Fabielle, uma loira de corpo escultural e que vivia um relacionamento virtual com um jovem teixeirense.

A autora do golpe acabou presa na Rua Massanori Nagao, no centro e foi identificada como Maely Lima Costa, de 20 anos, moradora da Rua André Medeiros, no Bairro São Lourenço. Maely era amiga da vítima e os dois se conheceram na igreja, e após alguns anos, ela voltou a se aproximar do jovem, que teria falado com a acusada sobre sua procura por uma mulher para manter um relacionamento sério. Então, a mesma usou uma foto de internet e disse à vítima que a pessoa que ali estava era sua amiga, e isso despertou no rapaz, que demonstrara interesse pela falsa loira Fabielle.

Então, Maely começou a se passar por Fabielle e, usando da carência e inocência da vítima, relatava que vivia dificuldades financeiras e precisava comprar remédios. O mesmo então passou a entregar valores para Maely, acreditando que o dinheiro era para Fabielle. Mas na verdade, o dinheiro era usado por Maely, que entre outras coisas conseguiu alongar os cabelos e pagou todas as suas contas. Vendo que a vítima estava encantada pela pessoa que na verdade não existia, ele disse ao jovem que teria comprado uma casa em Teixeira de Freitas, e precisava adquirir um portão e fazer alguns ajustes no imóvel, conseguindo “arrancar” do homem a quantia de R$ 8 mil.

Segundo o delegado Manoel Andreeta, com o dinheiro a espertalhona comprou aparelho de TV, celular, fogão, cama Box de casal, painel com suporte para TV e dois ventiladores.

A vítima do golpe disse à polícia que em alguns momentos chegou a desconfiar dos pedidos da namorada virtual, mas Fabielle sempre lhe enviava novas fotos em eventos sociais, inclusive algumas de biquíni.

Mais recente a acusada, sabendo que tinha controle sobre o jovem, fez um novo pedido de R$ 4 mil, para supostamente comprar parte do enxoval do futuro casamento entre os dois e custear uma cirurgia que estava precisando fazer. A partir dessa nova solicitação a vítima desconfiou e procurou a polícia.

Em depoimento ao delegado Manoel Andreeta o homem contou tudo, relatando que no total já teria dado à amada da internet, cerca de R$ 17 mil, quando ficou acertado que os contatos seriam mantidos até o dia do “bote” da polícia. A vítima seguiu as orientações e ao contrário de dinheiro, entregou para Maely, que era sempre a portadora para entregar os valores para a tal loira que nunca existiu, um envelope recheado de papel, quando a mesma acabou abordada e presa em flagrante. Logo depois a estelionatária levou os policiais até sua casa, onde estavam todos os produtos comprados com o dinheiro do jovem apaixonado.

Levada presa à sede da 8ª Coorpin, Maely Lima Costa, de 20 anos, admitiu os sequentes golpes e contou que tirar dinheiro do rapaz foi fácil, dado ao seu estado de fragilidade e paixão. Ela foi indiciada por estelionato, Artigo 171 do Código Penal Brasileiro (CPB) e permanece presa à disposição da Justiça.

(Por Ronildo Brito)